sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Hospital Militar da Boa Nova

Hospital Militar da Boa Nova
em Angra do Heroísmo

Após 1580 a política dos Filipes consistiu, entre outras, na ocupação e domínio militar do espaço Atlântico, de forma a permitir que as Carreiras da Índia, Brasil e Américas circulassem livremente e sem os consequentes ataques da pirataria marítima proveniente do norte europeu.

Porta de Armas
Nesse contexto era fundamental construir um conjunto de fortificações de cariz militarizado bem definidas e complementares à essência defensiva, de forma a proteger os territórios recém anexados a Espanha e permitir segurança aos naturais e embarcados que aportavam ás Ilhas Açorianas.

Uma das medidas inerentes à ocupação do arquipélago açoriano foi a construção em Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira, do Castelo de São Filipe (1583), para alicerçar a política de consolidação territorial, e do Hospital Militar da Boa Nova, como parte integrante dos equipamentos edificados necessários ao bom governo e manutenção das praças de guerra.

Este edifício é o primeiro Hospital Militar a ser construído de raiz em território português, considerando-o como um exemplo e modelo arquitectónico, assistencial, e administrativo, que se repercutiu pelo vasto território além-mar e que muito contribuiu para a estratégia da expansão portuguesa e do intercâmbio teórico/científico entre a Europa ocidental e as culturas locais onde estes se edificaram. 


O Hospital tinha por objectivo dar apoio às Armadas e embarcações que se deslocavam para as distantes colónias e entrepostos comerciais, as quais fundeavam obrigatoriamente nesta confluência geográfica, ao Exército que se encontrava nas Guarnições das fortalezas abaluartadas, de S. Sebastião e de S. Filipe, durante longos períodos e à população que residia nesta importante capitania açoriana, que usufruía essencialmente do préstimo da botica.


São João de Deus

É por esse motivo que o Hospital Militar da Boa Nova se apresenta construído numa área estrategicamente definida e organicamente localizado, pois não se encontra intra muros mas em frente à Porta d’armas principal; não está no centro urbano mas num dos extremos da área residencial, permitindo rápido acesso ao local, e está suficientemente próximo do porto para rapidamente acolher os marinheiros enfermos que ali chegavam oriundos do espaço atlântico. 

O Hospital de Nossa Senhora da Boa Nova para além de ser, no contexto internacional, um dos hospitais militares de raiz mais antigos do mundo é, sem dúvida alguma, o primeiro a ser edificado em Portugal, cerca 1600, com objectivos muito concretos e definidos, sendo um exemplo arquitectónico ímpar que se repercutiu no vasto Império português além-mar.

O Hospital Militar da Boa Nova, de Angra do Heroísmo, pelo seu significado histórico, mas sobretudo porque a ele acresce a sua importância enquanto hospital administrado por Irmãos de S. João de Deus vindos de Espanha.

Com a morte de S. João de Deus a 8 de Março do ano de 1550, em Granada, o Irmão-Mor Antón Martin e companheiros, todos seguidores de S. João de Deus, deram continuidade à sua obra; não descansando enquanto não levaram Hospitalidade ao maior número de pessoas possível.


O desenvolvimento da Congregação religiosa emergente foi enorme. Os Irmão de S. João de Deus – Irmãos Hospitaleiros – que serviam doentes, pobres e necessitados, eram chamados para aliviar todas as dores. Abriram muitas dezenas de pequenos hospitais em toda a Andaluzia. Acorreram a assistir militares. Os Reis contavam com a sua Hospitalidade.



Foi neste contexto que os Irmãos de S. João de Deus passaram a integrar Armadas Militares e nelas a prestar assistência de enfermagem. Foi neste ambiente de expansão da Ordem Hospitaleira de S. João de Deus que os Irmãos de S. João de Deus terão desembarcado na Ilha de Nosso Senhor Jesus Cristo (a Terceira) e nela terão servido militares doentes e feridos no Hospital Militar da Boa Nova, o qual foi administrado por eles.

Mais tarde, no continente português os Irmãos de S. João de Deus administraram dezenas de pequenos hospitais militares, de Norte a Sul do país, e todos eles na fronteira de Portugal e Espanha.

O ano de 2006 assinalou 400 anos da presença dos Irmãos de S. João de Deus em Portugal, pois em 1606 eles chegaram a Montemor-o-Novo e ali construíram um convento-hospital. Mas pelo que aqui se regista  e se vê  Os Irmãos de S. João de Deus estão em Portugal há mais de 400 anos porque Angra do Heroísmo os recebeu no

HOSPITAL MILITAR DA BOA NOVA